1-3-1200x900

Landing Pages: O que são e porque são importantes para seu negócio?

O Marketing Digital é uma estratégia de comunicação que oferece funcionalidades diferenciadas, capazes de auxiliar empresas dos mais variados portes a criar um diálogo certeiro e próximo do público-alvo. Entre as diversas estratégias existentes, você sabe o que são landing pages?

Essa ferramenta se tornou uma excelente alternativa para aumentar a conversão da empresa, conquistando cada vez mais leads e clientes durante o processo. No entanto, para aproveitar os resultados, é preciso ter alguns cuidados.

Criei este post bem completo para ajudar você a entender melhor do que se trata essa ferramenta de marketing tão eficiente. Vou explicar o que são landing pages, seu objetivo e os elementos que fazem essa página ser bem-sucedida. Acompanhe!

O que é Landing Page

O termo tem origem no idioma inglês e pode ser traduzido como “página de aterrissagem”. No Marketing Digital, uma landing page é, portanto, o primeiro espaço que um visitante acessa ao entrar em um site. Naturalmente, pode ser a categoria de um blog, de produtos em um e-commerce ou um artigo, mas a expressão costuma ser utilizada no contexto de mídias pagas.

Quando você clica em um anúncio, em uma campanha de e-mail marketing ou em banners, por exemplo, e é direcionado para uma página, que geralmente tem como objetivo atrair clientes ou consumidores, você foi encaminhado para uma landing page.

Com a popularização do Inbound Marketing, houve uma ressignificação e, hoje em dia, landing pages são conhecidas por páginas que possuem como objetivo uma conversão, seja em lead ou em vendas.

Landing Page

O objetivo de uma Landing Page

Diferente da página inicial de um site, que geralmente é mais genérica e abrangente, as landing pages são mais objetivas e criadas estrategicamente para despertar a curiosidade, criar interesse e provocar desejo no público-alvo, para que ele converta esses sentimentos ou necessidades em algum tipo de ação positiva, como nos exemplos citados acima.

Independentemente do tipo, o único objetivo das landing pages é gerar conversões, e é por isso que se diferenciam das outras páginas de um site. Para isso, a página deve ser clara, precisa e organizada, oferecendo realmente aquilo que foi prometido, informado ou especificado em sua campanha estratégica inicial.

Qual a relação das Landing Pages com os resultados?

Na maior parte das vezes, as landing pages são a porta de entrada dos prospects para a jornada de compra. Nesses canais, visitantes podem virar leads e leads podem virar leads qualificados que, posteriormente, se tornarão clientes do seu negócio.

Por isso, ao fazer um bom trabalho nas suas landing pages, você poderá gerar mais conversões para sua empresa, aumentando o potencial de resultados e tornando sua estratégia mais rentável e lucrativa.

Nesse momento, entra a necessidade de um bom parceiro: é preciso que a sua empresa possa contar com a expertise de quem possui experiência e seja capaz de te ajudar a conquistar esses resultados.

A criação de uma landing page exige estratégia e conhecimento de mercado. Por isso, a Orgânica se torna uma boa opção: nós possuímos grande experiência e contamos com uma equipe especializada na área, capaz de aumentar a sua taxa de conversão e conquistar as melhores oportunidades para o seu negócio!

Os benefícios de criar uma Landing Page

Uma estratégia baseada em landing pages pode ser ótima para quem trabalha com vendas na Internet ou vários outros nichos. Vou listar aqui alguns benefícios:

Ajuda no lead scoring

Uma das grandes vantagens de uma landing page não é apenas a geração de leads, mas o chamado leading score. Trata-se da classificação dos leads de acordo com o seu interesse e possibilidades de fechar um negócio.

Esse processo consiste em atribuir um determinada pontuação a cada um dos leads, de acordo com a sua interação com a marca. Quanto mais fundo no funil estiver essa interação, mais pontos ela representa.

Por exemplo, um cadastro para newsletter de topo de funil vale menos pontos que baixar um e-book de fundo de funil. É preciso manter um controle sobre essas ações do usuário.

De acordo com a pontuação obtida por cada lead, o time de vendas sabe quem está pronto para um contato direto, já que demonstrou muito mais interesse nas soluções ofertadas por sua empresa para os seus problemas. O foco é sempre em quem tem mais chances de conversão.

Permite segmentar os leads

Outra vantagem clara de uma estratégia de landing pages é a segmentação de leads. Isso pode ser feito por meio das ações e materiais utilizados em cada página.

A partir das informações solicitadas ou do material disponibilizado na landing page, podemos distinguir as diferenças entre as pessoas que estão na jornada de compra. Assim, criam-se listas e grupos com interesses semelhantes para gerar novas estratégias focadas nelas, melhorando ainda mais a conversão.

Reduz o custo de aquisição de clientes

Adquirir as informações de clientes é algo complicado e exige um enorme esforço da equipe de marketing e vendas. São horas de ligações, entrevistas, e-mails, reuniões e apresentações para manter um contato e conseguir tais dados, para que possam ser mais bem trabalhados. Tudo isso tem alto custo.

Uma estratégia de landing page consegue agregar uma quantidade enorme de dados de potenciais clientes de forma simples e rápida. Você deixa de correr atrás dos leads e apenas oferece informações para que eles venham até você.

Por meio da landing page, é possível ter acesso a todas as informações relevantes de um lead para posterior contato. Os custos são baixíssimos em relação a uma estratégia comum de captação de clientes.

Funcionalidades essenciais ao usar um criador de Panding Pages

Por não necessitarem de uso de código, os criadores de landing page agilizam (e muito!) o processo de criação, edição, publicação e divulgação das páginas, só é necessário verificar alguns pontos para ter certeza de qual ferramenta é a escolha certa:

Adequação à LGPD

Em 2020, a Lei Geral de Proteção de Dados entrou em vigor no Brasil e estabeleceu regras claras sobre coleta, armazenamento, tratamento e compartilhamento de dados pessoais, impondo um padrão mais elevado de proteção e penalidades significativas.

Por isso, é essencial que a ferramenta para criação de landing pages ofereça campos de proteção de dados, de acordo com a lei.

Vale lembrar que as multas previstas para o descumprimento variam de 2% do faturamento bruto até R$ 50 milhões (por infração), e começarão a ser aplicadas a partir de agosto de 2021.

Segurança

Já aconteceu de você acessar algum site e a mensagem de “Não seguro” aparecer?

Com a popularização do HTTPS, que se tornou inclusive um critério de ranqueamento do Google, é cada vez menos comum encontrar sites assim, mas eles ainda não foram extintos.

Certas ferramentas de criação de landing pages não oferecem certificado de segurança para as páginas, o que é ainda pior, visto que a grande maioria das landing pages possui formulários para solicitação de dados.

Lembrando que isso não é apenas visual ou para passar segurança: landing pages em HTTPS realmente oferecem mais proteção, como os princípios de confidencialidade, integridade e autenticação.

Responsividade

Sim! Ainda é preciso falar sobre responsividade, pois existem empresas e ferramentas que produzem landing pages que não se adaptam às telas menores.

Não se trata mais só de algo “bom para o SEO” ou que “impacta na taxa de conversão”: ter páginas que se adaptam e que também oferecem ótimas experiências com dispositivos móveis se tornou questão de sobrevivência no mundo online.

Facilidade de uso

Se as empresas recorrem a ferramentas para criação de landing pages em busca de produtividade e facilidade, parece redundante falar que elas devem ser fáceis de usar, né?

Mas ainda são muito comuns ferramentas complexas e burocráticas, que oferecem uma experiência confusa e, no fim, acabam mais atrapalhando do que ajudando.

Opte por ferramentas que possuem sistema “drag&drop”, edição facilitada e em tempo real, simplesmente arrastando, soltando e editando elementos:

Criador de Landing Page

Também vale dar preferência para ferramentas em português. Isso pode facilitar muito quando é preciso fazer algo muito rápido e você quer identificar coisas no “piloto automático”.

Integração com outras ferramentas e sistemas

A sua estratégia de Marketing Digital não se resume a apenas converter leads nas landing pages, certo?

Então é essencial garantir que a ferramenta que você usa ofereça integração com outros sistemas que estão na sua operação, como CRM, públicos no Facebook e e-mail marketing.

Os tipos de Landing Page

O objetivo geral de uma estratégia de landing page é gerar conversões, mas isso pode ser feito por meio de várias ações, até que se gere o interesse principal para a compra. Por conta disso, temos vários modelos de landing page a serem utilizados dentro do funil de vendas. Vamos verificar cada um deles:

Página de captura

O primeiro modelo é a chamada página de captura, um tipo simples de landing page criado para capturar dados de contato de um lead. Pode ser e-mail, nome e telefone, permitindo a criação de uma lista de leads.

Para que ela tenha sucesso, é preciso realizar alguma oferta de contrapartida, algo que seja do interesse do cliente, como a inscrição em um webinário ou o download de um e-book. Para que tenha acesso ao conteúdo, o usuário precisa preencher um formulário com seus dados

Página de confirmação pendente

Quando nos cadastramos em um novo serviço ou em qualquer plataforma online, é comum ser direcionado a uma página que nos pede para acessar a caixa de entrada de nosso e-mail para realizar a confirmação e conclusão do cadastro.

A função da página de confirmação é a orientação do usuário acerca de quais passos ele deve realizar para concluir o processo de cadastro ou acessar a recompensa que foi prometida.

Esse tipo de página deve ser o mais simples possível. É fundamental que as orientações passadas aos usuários sejam claras. Isso serve para evitar que pessoas utilizem e-mails falsos apenas para acessar as recompensas.

Página de vendas

O objetivo da página de vendas é apresentar um determinado serviço ou produto em um modelo de oferta. Para ter eficiência, ela deve convencer o cliente de todos os benefícios existentes na oferta apresentada, deixando claro como ela poderá sanar todos os problemas do lead.

Uma seção de perguntas frequentes e depoimentos de consumidores são uma boa tática de convencimento. Tudo isso deve ser finalizado com uma chamada para a ação que leve o usuário até uma página de pagamento, na qual a compra será finalizada.

Página de obrigado

O último tipo de landing page é a página de obrigado, que serve para finalizar uma conversão. Ela pode ser aplicada não apenas em uma compra, mas também ao baixar um material, realizar uma inscrição ou preencher um formulário.

O objetivo dela é gerar empatia, conquistando a confiança do usuário por meio do estreitamento da relação. Além disso, quando a landing page de obrigado é aplicada em início ou meio de funil, ela já pode indicar o próximo passo a ser tomado pelo lead.

Essa etapa pode ser o download de outro material, a sugestão de leitura de um post ou, até mesmo, a aquisição de um produto ou serviço que possa auxiliar na dor que o usuário esteja enfrentando.

BLOG_formas-de-trazer-trafego

Tráfego pago: o que é, quais as vantagens e como utilizar no seu projeto.

Imagine planejar um evento, ter todo o trabalho de pesquisa, criação da agenda, conteúdo e escolha do local para no final ninguém comparecer. É ruim até mesmo de imaginar, não é? Se você investe na criação de um site, loja virtual ou blog e não tem tráfego, é basicamente isso que acontece, porém no ambiente virtual. De nada adianta colocar seu conteúdo no ar se ninguém o acessa. O investimento em tráfego pago pode ser um excelente aliado para empreendimentos digitais que ainda estão em fase de consolidação.

Uma estratégia de tráfego pago irá fazer com que o número de visitantes nas suas páginas aumente e, consequentemente, ajuda a tornar sua marca mais conhecida. Você sabe exatamente o que é, como funciona e quais as melhores fontes desse tipo de tráfego? Confira nesse artigo tudo sobre o assunto.

Por que fazer um plano de marketing digital?

Você pode estar se perguntando o que um plano de marketing digital tem a ver com tráfego pago, certo? A resposta é: tudo a ver!

Se você não conhece esse documento, vale a pena entender um pouco mais sobre como ele pode ajudar o seu projeto de marketing ter resultados incríveis, afinal, todo projeto começa com um bom planejamento.

Em um plano de marketing digital você irá documentar características do mercado, quem é sua persona, quais são seus objetivos, quais canais irá utilizar e como você irá mensurar resultados. Dessa forma, ficará muito mais fácil entender qual melhor caminho a seguir e, mais importante ainda, saber se seu projeto está ou não está dando certo.

É importante lembrar também que, para seu projeto ter ainda mais sucesso, você deve primeiro criar um plano de conteúdo – quais posts irá fazer e em quais redes sociais – para depois criar seu plano de mídia e selecionar quais deles serão impulsionados e quais anúncios serão criados.

Após fazer seu plano, você pode partir para, de fato, adotar uma estratégia para trazer tráfego pago para suas páginas. Vamos lá?

O que é tráfego pago?

Primeiramente, para entender o que exatamente significa tráfego pago, é preciso entender o que significa o tráfego da sua página. De forma bem simples, tráfego diz respeito a acessos no seu site, loja ou página. Hoje em dia, como os sites, páginas e até mesmo perfis em rede sociais são ferramentas poderosas para o marketing digital, é possível pagar uma certa quantia para atrair visitantes para suas páginas, ou seja, o tal tráfego pago.

Nesse caso, você investe um valor em uma determinada fonte e isso faz com que mais visitantes cheguem até sua página. Um exemplo que você com certeza já se deparou é um anúncio do Google. Nesse caso, você escolhe uma palavra chave relevante para o seu negócio e, quando pessoas pesquisarem por ela, a sua página aparece primeiro.

Tráfego pago X tráfego orgânico

O tráfego pago, então, é a única forma de atrair mais visitantes para o meu site? Claro que não! Existem diferentes formas de tráfego, como o orgânico, por exemplo.

A diferença entre o tráfego orgânico e o tráfego pago é que, basicamente, o tráfego orgânico não possui nenhum custo direto, então, os visitantes chegam até suas páginas de forma natural. Exemplo: Uma pessoa que está procurando por uma gráfica, ao realizar uma pesquisa no Google com os termos “gráficas no centro em Belo Horizonte” encontrará vários resultados e, clicando neles, se torna uma visita orgânica para aquele site. Então, é como ter publicidade gratuita para um enorme número de pessoas. Parece fácil, certo? O problema é que, com tantos resultados e tanta concorrência, aparecer na primeira página das buscas do Google não é uma tarefa simples.

Segundo dados da Moz, uma empresa especializada em marketing digital e SEO, cerca de 71% das pesquisas resultam em cliques nos links da primeira página, enquanto apenas 5% das pessoas, de fato, clicam em links das segunda e terceira página. Então, com esses dados já dá pra perceber que não é nada fácil ser visto nos grandes sites de busca, sobretudo se você trabalha com o mercado de massa, tem muita concorrência ou acabou de começar.

Por isso o tráfego pago é uma alternativa tão atraente atualmente. Dê uma olhada em algumas vantagens que ele pode trazer para seu negócio.

Quais as vantagens?

Como dissemos, ter um tráfego orgânico recorrente é excelente para seu negócio, porém, não é uma tarefa simples. Resultados orgânicos são bastante efetivos, mas uma estratégia de SEO só funciona a longo prazo (média de 2-3 meses) e exige muito estudo, planejamento e dedicação. Então, se você não possui uma grande equipe de marketing especializada em marketing de conteúdo, o tráfego pago é uma excelente alternativa.

O tráfego pago gera resultados expressivos de imediato e, acredite, você não precisa investir tanto dinheiro quanto pode imaginar. Veja só como essa estratégia funciona:

Como funciona?

Basicamente, as principais fontes de tráfego pago funcionam por dois métodos diferentes: CPC e CPM.

Em geral essas ferramentas trabalham com o termo bidding, que significa ‘lance’ – no sentido de leilão – em inglês. Isso se dá porque você pode não ser o único buscando anunciar para uma mesma palavra chave, certo? Então, as ferramentas irão analisar a relevância dos resultados e o lance dado para os anúncios e, dessa forma, irão organizar quais resultados serão mostrados primeiro.

Vamos ver as principais diferenças entre o CPC e o CPM:

CPC – Cost per click (custo por clique)

Esse método é ideal para quem está tentando levar tráfego real para as suas páginas, afinal, você paga por cada clique em seus anúncios. É o modelo ideal também para quem sabe exatamente quanto quer gastar com essa estratégia de marketing, já que é possível configurar as ferramentas para um valor máximo que você pretende investir.

Existem também duas subdivisões dentro desse método, o Automatic Bidding e o Manual Bidding. No primeiro, você estabelece um valor diário que irá pagar e, baseado nisso, a ferramenta (Google AdWords, por exemplo) irá tentar trazer o máximo de cliques para aquele valor que for possível. Já no modelo de lance manual, você só paga no momento que alguém clicar no seu anúncio, mas é possível estabelecer a quantidade máxima de cliques que você deseja, para não ultrapassar o orçamento. Nesse formato, é possível ter um pouco mais de controle sobre quanto você gasta por clique.

CPM – Cost per thousand impressions (custo por mil impressões)

O método CPM é diferente do CPC uma vez que não é focada no número de cliques que seus anúncios recebem, mas sim, na quantidade de impressões – o número de vezes que pessoas veem esse anúncio. Aqui, você será cobrado pelos milhares de visualização. Ou seja, cada vez que seu anúncio aparecer para mil pessoas, independentemente se elas cliquem ou não.

Essa é a melhor opção para quem está buscando visibilidade e melhor posicionamento de marca, por exemplo, uma loja online que acabou de ser criada.

Uma vantagem desse método é que somente o preço do seu lance em relação ao dos seus concorrentes irá definir qual anúncio aparecerá primeiro, porém, uma desvantagem é que você pode pagar pelas impressões e acabar não recebendo nenhum clique.

Sobre os dois modelos, não é possível dizer que um é melhor do que o outro, afinal, isso irá depender do seu objetivo, do tipo do seu negócio e, claro, de quanto dinheiro você está disposto a investir.

Fontes de tráfego pago

Para levar tráfego pago para seu site você pode usar diferentes fontes. Confira algumas das mais importantes:

Google AdWords

Utilizando a ferramenta Google AdWords, os anúncios aparecem nos mecanismos de busca do Google e demais parceiros. É o caso da imagem que ilustramos lá em cima no nosso artigo.

Além de te dar as duas opções (CPC ou CPM), outro atrativos de se usar o AdWords é a possibilidade de segmentar o público que você deseja atingir. Na segmentação, você pode selecionar em quais dispositivos você deseja que as pessoas vejam os anúncios, quais localidades, gênero e faixa etária dos usuários, interesses e muito mais. Assim, você garante que irá atingir um tráfego que realmente seja qualificado para o seu negócio.

A ferramenta ainda possibilita que você faça testes A/B para avaliar quais métodos de publicidade são mais apropriados e efetivos para sua estratégia.

Facebook Ads

Hoje, o Facebook é uma poderosa ferramenta de marketing para empresas. No ano passado, mais de 2 bilhões de pessoas já possuiam conta nessa rede social e eram ativas mensalmente. Por isso, anunciar nessa plataforma é uma excelente forma de trazer clientes para seu empreendimento e, claro, trazer visibilidade para sua marca.

Assim como no AdWords, é possível trabalhar com uma segmentação minuciosa de audiência para atingir exatamente o perfil de pessoas que você deseja.

YouTube Ads

Se o seu negócio é em vídeos, o YouTube Ads pode ser uma excelente ferramenta. Hoje em dia, os vídeos online já representam grande parte do tráfego online e, além disso, são poderosas ferramentas de atração e encantamento para o marketing digital.

Se você é produtor de conteúdo em vídeo, a nossa dica é a seguinte: O YouTube Ads é uma excelente forma de promover seus vídeos na plataforma e utilizar disso como isca de público para o seu canal profissional, no qual você pode vender seus conteúdos e cursos online!

Instagram Ads

Dentro da ferramenta Instagram Para Empresas, existe o Instagram Ads, análogo ao Facebook Ads. Nessa ferramenta é possível realizar anúncios dentro do Instagram, tanto por meio de fotos quanto por meio de vídeos, no feed ou até mesmo as Histórias!

Se o seu público é um pouco mais jovem, o Instagram Ads pode ser ideal para o seu negócio por causa do perfil dos usuários dessa rede. E acredite, o Instagram cresce de maneira acelerada e em um ritmo maior do que o próprio Facebook. Em junho de 2018 a rede social anunciou que já existem mais de 1 bilhão de usuários ativos por mês.

UOL Ads

O Uol Ads também é uma boa fonte de tráfego pago atualmente. Nesse caso, é possível anunciar sua marca em vários portais parceiros da UOL, como PagSeguro, Caras.com e até mesmo no Folha de São Paulo.

O custo para anunciar nessa plataforma também não é exorbitante, sendo possível começar com valores a partir de R$10,00 e pagando por cada clique recebido.

Outras fontes

E, claro, diversas redes sociais e portais já estão investindo em ferramentas de anúncios, sendo possível encontrar diversas outras fontes de tráfego pago. Alguns exemplos são:

  • Bing Ads;
  • LinkedIn Ads;
  • Twitter Ads;

E muito mais!

Dica importante!

Atente-se às peculiaridades de cada rede e cada fonte de tráfego para garantir que irá passar sua mensagem da forma mais apropriada possível! Pense só, uma rede como o LinkedIn possui um público bem diferente do que o que utiliza o Facebook, certo? Além disso, uma rede como o Instagram aposta muito mais em determinados tipos de post, como imagens e vídeos, enquanto outras são focadas em textos.

Inclusive, algumas redes podem nem ser tão indicadas assim para o seu tipo de projeto ou empreendimento.

Assim, uma dica importantíssima é: crie um plano específico para cada fonte de tráfego pago e garanta que sua comunicação será efetiva em cada uma delas!

Investir em tráfego pago é uma excelente maneira de atingir um público qualificado de maneira rápida e efetiva. Atualmente existem diversas fontes que permitem anunciar seu site, página, blog ou loja e uma dessas fontes pode ser a ideal para seu empreendimento!

profissao_social_media

Profissão Social Media: 5 dicas para se destacar!

Dicas para se destacar como Social Media

Inglês é um diferencial, mas português é essencial

Muitas ferramentas e softwares atuais só estão disponíveis em inglês. Assim, saber o básico do idioma é pré-requisito para se colocar no mercado de trabalho. Mas quando o assunto é produção de conteúdo, dominar a Língua Portuguesa, escrita e falada, é crucial! Afinal, conteúdo de qualidade é sinônimo de engajamento, persuasão e conversão.

Seja um heavy user das redes sociais

Agora, cá entre nós, uma das principais características de um bom Social Media é ser um verdadeiro usuário de cada rede, certo? Na verdade, você não precisa saber todas as funcionalidades de cada uma delas, mas ser curioso e buscar aprender é fundamental.

Interpretação é tudo

Muito bem, outro diferencial para quem quer atuar como Social Media é ter boa interpretação. E não me refiro apenas a de texto, mas a de métricas, isto é, a capacidade de observar e analisar as informações oferecidas por cada rede social a respeito do desempenho de cada empresa. Além disso, é crucial identificar padrões e propor melhorias para aperfeiçoar o que ainda não está bom.

Um por todos e todos por um

Trabalhar em equipe é a base de tudo, né? Afinal, uma andorinha só não faz verão! Assim sendo, por traz de todo Social Media existe um Criativo, um Redator, um Atendimento e por aí vai… Principalmente se você pretende trabalhar em uma agência de Publicidade. Então, a dica aqui é vestir a camisa e entender que você é uma pequena peça que faz toda a diferença numa grande engrenagem!

Aperfeiçoamento constante faz toda a diferença

Por fim, para fechar as nossas dicas… O último item, para mim, é mais um dever do que uma qualidade. Afinal, para sermos bons naquilo que escolhemos fazer e para termos o tão desejado sucesso profissional, é preciso muito esforço, estudo e atualização constante.

Até porque, com tantas mudanças acontecendo ao nosso redor, não dá para estagnar e ficar parado, certo? Assim sendo, estude muito, reinvente a sua prática, pesquise, tire dúvidas, teste novas ferramentas, corrija os erros, tente novamente e busque ser sempre melhor do que ontem!